Temprano Capital acaba de abrir nova residência no Porto e inaugura em janeiro mais uma em Lisboa.

Duas unidades inauguradas recentemente em Lisboa e no Porto pela U-HUB, a transformação de um antigo lagar em Elvas, os projetos da Promiris para a Invicta ou a abertura no início de janeiro da Livensa Cidade Universitária, uma unidade para 595 alunos, são alguns dos exemplos da dinâmica que o sector das residências para estudantes está a demonstrar.

€500 MILHÕES PARA PORTUGAL E ESPANHA

Com três residências universitárias prontas e duas em fase de conclusão, a Temprano Capital Investements quer reforçar o investimento em Portugal a curto prazo. “Neste momento, temos €500 milhões de capital disponível para investir no mercado ibérico (Portugal e Espanha), que estarão, claro, sujeitos às oportunidades que se enquadrem e cumpram os nossos critérios de investimento”, disse ao Expresso, Jonathan Holloway, diretor de Desenvolvimento para Portugal da Temprano.

O responsável desta empresa de investimento imobiliário fundada em 2013 por Neil Jones e James Preston, salienta o “bom desempenho” no mercado português e o seu “potencial de crescimento” a breve trecho.

Além de continuar a consolidar a presença no sector das residências para estudantes, Jonathan Holloway adianta que quer “continuar a investir noutros sectores em que historicamente temos estado presentes no mercado português”. Com uma carteira de €250 milhões em cinco residências, o portefólio total da empresa em Portugal atinge os €275 milhões, incluindo escritórios e retalho.

€40 MILHÕES NA CIDADE UNIVERSITÁRIA

Como projeto emblemático, Holloway adianta o Livensa Cidade Universitária, uma residência para estudantes que abre portas no início de janeiro e onde a Temprano investiu €40 milhões.

“É o nosso quarto projeto no sector das residências para estudantes e o segundo em Lisboa, o que eleva para um pouco mais de duas mil camas a nossa oferta”, afirma.

Esta residência universitária dispõe de 524 quartos, 447 dos quais são estúdios, 71 duplos que podem ser partilhados (2 pessoas) e 6 são quartos duplos, de gama mais alta, e que podem ser igualmente partilhados. Todas as unidades estão equipadas com cozinha e casa de banho privativas

Jonathan Holloway destaca a singularidade da residência da Cidade Universitária, que conta ainda com uma piscina num terraço de 1000 m2, uma academia desportiva que inclui uma parede de escalada com 5 metros, zona de ioga, entre outros. Com 17.500 m2 e 14 andares, o projeto integra também cinema, biblioteca e várias salas de co-working, acrescenta o responsável.

Para o primeiro trimestre de 2021, a Temprano Capital deverá ter concluída uma residência em Coimbra, a Livensa Living Ribeira com 13 mil m2 e 349 quartos. A Temprano Capital acaba de entregar a sua segunda residência no Porto, na Boavista, uma unidade com 11.500 m2 e 340 quartos, que se junta à Living Porto, concluída no terceiro trimestre de 2019 com 20 mil m2 e 582 quartos. A Temprano Capital entrou em Portugal há quase três anos, com uma residência no Marquês de Pombal.

Em Espanha, além de uma carteira com cinco centros comerciais, a empresa tem sete residências estudantis.

“Como investidor e promotor focado no sector da habitação na Península Ibérica, a empresa tem em pipeline 10 mil camas em operação ou em desenvolvimento em 23 proprie­dades nas principais cidades universitárias ibéricas”, concluiu Holloway.

Fonte: Expresso


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PT
EN PT