“Vamos abrir em Lisboa em 2022. Temos já fechado o bloco logístico para abrir em Lisboa. Vai ser a 60 quilómetros de Lisboa, no distrito de Santarém, em Almeirim. E aguardamos as autorizações para começar a construção. Se tivermos a autorizações amanhã, amanhã começaríamos a abrir os supermercados “, adiantou Juan Roig, CEO da Mercadona, na apresentação de resultados da cadeia de supermercados, quando questionado sobre o tema pelo Dinheiro Vivo / Jornal de Notícias.

Este ano, a empresa conta investir 1500 milhões, dos quais 150 milhões em Portugal, uma subida face aos 113 milhões o ano passado. O investimento que será encaminhado este ano para a plataforma logística de Almeirim será “residual”, explica Elena Alda, diretora de relações externas Portugal, num encontro digital com jornalistas, na medida em que as obras must arrancar mais para o final do ano.

O grosso será investido nas 9 aberturas de supermercados, na plataforma logística de Póvoa de Varzim (para a economia circular) – que deve absorver cerca de 20 milhões do montante de investimento previsto – bem como no segundo centro de co-inovação, que deve abrir portas entre setembro e outubro, em Lisboa. Aberturas de super serão no distrito de Lisboa, para a cidade, diz um responsável, ainda não há uma data precisa fechada.

Com 20 supermercados em Portugal, a Mercadona gerou 186 milhões de euros de vendas o ano passado, o primeiro ano de operação completa da companhia.

“Estamos muito improvisados ​​com as vendas em Portugal”, afirma Juan Roig, CEO da Mercadona, na apresentação de resultados de 2020 da cadeia de supermercados, pela primeira vez feita digitalmente por causa da pandemia.

“As vendas por loja em Portugal são superiores do que em Espanha. Mais 10% do que em Espanha, o que para nós é um orgulho”, adiantou o CEO da cadeia de retalho alimentar.

“Compramos 369 milhões de euros em Portugal, o dobro das vendas”, destaca o CEO da Mercadona. Deste montante cerca de 80% seguiu para Espanha.

O ano passado a empresa criou 5 mil postos de trabalho, elevando para 95 milhões de colaboradores. Destes 800 foram criados em Portugal, o primeiro mercado de internacionalização da cadeia onde já emprega 1700 colaboradores. Este ano contam criar mais de 1.600 postos de trabalho, 500 em Portugal.

Fonte: Jornal de Notícias


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PT
EN PT