Como forma de proporcionar uma alternativa para investidores que buscam opções de investimentos seguros e rentáveis, mas que não querem investir diretamente em ativos imobiliários, desenvolvemos o FUNDO NAVIGATOR II, um fundo que têm como objetivo principal o investimento em empresas detentoras de ativos comerciais (SPV – Special Purpose Vehicle)  que geram rendas através de contratos de locação de longo prazo com empresas Triple A e conceituadas cadeias varejistas, redes de fast food, academias, serviços médicos e odontológicos, geralmente de origem europeia.

O Fundo Navigator II é um Fundo de Capital de Risco criado nos termos da Lei Portuguesa nº 18/2015, de 4 de Março (que transpõe a Diretiva 2013/14 / UE do Parlamento Europeu e do Conselho) e regida pelo Regulamento da CMVM nº 3/2015, de 15 de outubro.

O fundo é estruturado como fundo fechado, por um prazo de 7 anos, com ticket de investimento mínimo de 200 mil Euros e que nos 9 primeiros meses de operação teve rentabilidade líquida de 7,3%.

Os grandes motores geradores de rentabilidade são as rendas recebidas através dos contratos de arrendamento associados aos ativos comerciais pertencentes às empresas que o Fundo adquire, as quais giram sempre na casa de 6% a 8% ao ano. Entretanto, face à possibilidade de alavancagem financeira e também da comercialização (com mais valia) dos ativos imobiliários, estas rentabilidades tendem a atingir um patamar líquido mínimo na casa dos 8% ao ano, chegando no limite até à casa dos 20% ao ano.

GESTÃO DO FUNDO

A gestão do fundo está sob a responsabilidade da Lince Capital, sociedade que faz parte do Grupo Temple e que gere há mais de 30 anos fundos de capital de risco e fundos de investimento especializados e desenvolve projetos imobiliários há mais de quarenta. Conta com uma equipa com vasta experiência em imóveis comerciais, residenciais, retalho, turismo e planeamento urbano; atualmente, gere fundos no valor de mais de 350 milhões de euros.

ADVISOR

EUROPAR INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES, instituição empresarial portuguesa derivada da operação de duas empresas brasileiras, a MAM ASSESSORIA e a VETOR INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES, ambas atuantes no mercado de capitais do Brasil há mais de 20 anos e fortemente focadas no desenvolvimento e estruturação de produtos e serviços financeiros.

Conta com um corpo de profissionais com forte experiência em gestão de ativos, estruturação de produtos financeiros e consultoria financeira, com sólida formação acadêmica e com experiência adquirida no Brasil e no exterior.

BANCO DEPOSITÁRIO

Millennium bcp é o maior banco privado português. Em 2018, foi classificado pela Forbes na 1 623ª posição, entre as maiores empresas do mundo. O Millennium destaca-se com operações internacionais de banca de investimento através do Banco de Investimento Imobiliário. Na área de private banking, o Millennium bcp foi também pioneiro, com operações nos EUA (BCP Bank), Países Baixos (BCP Investment), Luxemburgo (Banque BCP), Suíça (Millennium Banque Privée), Macau (Millennium Macau e Banco Comercial de Macau), Ilhas Caimão (BCP Finance Bank e Millennium Bank & Trust), em Moçambique através do Millennium BIM, e na Polônia como principal investidor do Bank Millenium.

PORTUGAL

A economia portuguesa cresceu 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior e abaixo das previsões do Governo, que estimava um crescimento de 2,3% naquele ano (segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística). Entretanto, a economia portuguesa cresce há nove trimestres consecutivos em convergência com a Europa; trata-se do período mais longo de convergência com a UE desde o início do século.

A economia portuguesa continuará a crescer, mas a um ritmo mais lento até 2021, refletindo a desaceleração das exportações, segundo as previsões do Banco de Portugal (BdP). O BdP antecipa um crescimento de 1,8% em 2019, 1,7% em 2020 e 1,6% em 2021 e salienta a revisão em baixa do crescimento das exportações.

As 3 principais agências de risco internacionais (Fitch, S&P e Moody’s) classificam o risco soberano de Portugal em grau de investimento, facilitando o acesso ao mercado internacional de bancos e empresas e melhorando as condições de financiamento e reduzindo o custo de crédito.

MERCADO IMOBILIÁRIO COMERCIAL EM PORTUGAL

O mercado imobiliário em Portugal teve mais um ano recorde em 2018 com cerca de 3,3 bilhões de euros em investimento só no segmento comercial, de acordo com dados levantados pela consultoria JLL. O ano de 2017 já tinha sido um ano de exceção, mas o montante surpreendente de investimento feito em imobiliário comercial em 2018 — quase duplicando face ao valor de 2017 — leva a consultoria a defender que o imobiliário trilhou um “caminho que já não poderá ser desfeito”. Só nos 12 meses de 2018, terá sido investido tanto em imobiliário comercial como nos sete anos entre 2008 e 2014, relata a consultoria. O retalho, com 45% do capital transacionado em 2018, e os escritórios, com 24%, lideram as preferências dos investidores, dos quais 94% são de origem externa, acrescenta a JLL.

OPORTUNIDADE DE INVESTIMENTO

  • Fundo de investimento para o desenvolvimento e posterior venda de ativos imobiliários comerciais (renda garantida) em Portugal com retornos altos e seguros;
  • Diversificação de investimento em vários ativos para reduzir o risco;
  • Investimento através de um veículo transparente e fiscalmente regulamentado pela Comissão do Mercado e pelo Banco de Portugal;
  • Elegível para o Programa Golden Visa português mediante investimento mínimo de 350 mil Euros.

INVESTIMENTO, DIVIDENDOS, GANHOS E DISTRIBUIÇÕES

  • O investidor investirá no Fundo durante o período de subscrição;
  • O investidor será reembolsado pelo seu investimento inicial através do retorno esperado anual no vencimento do fundo;
  • O fundo não tem tributação sobre ganhos de capital ou qualquer outra forma de renda;
  • No caso de investidor estrangeiro não haverá incidência de impostos sobre a distribuição de dividendos e ganhos de capital; no caso de investidor português haverá uma retenção na fonte de 10% sobre a distribuição de dividendos e ganhos de capital;
  • O investimento será provido através de um empréstimo para as SPVs que estão empreendendo os diferentes projetos e toda a distribuição anual será fornecida de volta como juros sobre este empréstimo, uma vez que está isento de tributação até o limite de 6%.
PT
EN PT