Évora Retail Park foi vendido à Europar por 6,1 milhões de euros. Novos donos estão a criar mais 2.000 metros quadrados para novas lojas.

O Évora Retail Park, localizado no concelho com o mesmo nome, foi vendido a investidores brasileiros. Este espaço comercial com cerca de 6.000 metros quadrados, e inaugurado em 2011, foi vendido pela M7 Real Estate à Europar Investimentos & Participações, revelou esta segunda-feira o vendedor. O ECO soube entretanto, junto dos novos donos, que a operação foi fechada por 6,1 milhões de euros.

Os novos donos são um family office do Brasil, estão a criar mais 2.000 metros quadrados para novas lojas, totalizando 6.200 metros quadrados. O imóvel está 100% ocupado e tem como principais inquilinos o AKI, a Hôma e a Feira dos Sofás. A operação foi fechada em setembro do ano passado, mas só agora conhecida. O ECO sabe também que, entretanto, a Europar já vendeu uma parte do retail park.

O Évora Retail Park foi inaugurado em 2011 pela EVRET (joint-venture da Imorendimento e da Madford Developments), resultado de um investimento de 60 milhões de euros.

Esta operação foi uma das três fechadas no ano passado pela M7 Real Estate, através do fundo M7 Portuguese Active Fund. Para além do Évora Retail Park, a M7 vendeu ainda um edifício com 2.800 metros quadrados em Oeiras a um fundo gerido pela Fundiestamo (pertencente ao Estado português). Este prédio tem a cadeia de ginásios Fitness Hut como inquilino e, antes da venda, a M7 negociou com os mesmos “um conjunto de incentivos e descontos em troca com uma extensão contratual mais longa de oito anos”.

A terceira operação foi uma “pequena fração” de 251 metros quadrados no edifício Arcis, em Lisboa, também à Fundiestamo. Esta venda já era conhecida, uma vez que foi anunciada pela própria Fundiestamo em agosto de 2021, cujo valor ascendia a quatro milhões de euros.

Com estas três operações, adianta a M7 em comunicado enviado esta segunda-feira, a empresa encaixou 12,2 milhões de euros. “O mercado de investimento em Portugal continua a apresentar um desempenho muito positivo, apesar do cenário desafiador, tendo estas três operações de venda gerado retornos muito atrativos para os nossos investidores”, diz Leonardo Peres, diretor-geral em Portugal da M7.

O responsável adianta que já há várias transações previstas para 2022 e que no início deste ano já se perspetivam mais de dois mil milhões de euros em operações “em curso e em diferentes fases de negociação”. Um valor que já supera todo o ano de 2021.

Fonte: Sapo ECO


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PT
EN PT