Sónia Ventura, 48 anos, é a nova diretora de desenvolvimento da McDonald’s em Portugal

A liderança da estratégia de desenvolvimento imobiliário e gestão do patrimônio do gigante de comida rápida McDonald’s em Portugal está, pela primeira vez, fora das mãos do diretor-geral da empresa e do seu diretor de operações. Sónia Ventura, que desde 2018 liderava a área de expansão e planeamento do retalhista Walmart no Brasil, vai dirigir a área de desenvolvimento da McDonald’s, assegurando a gestão do património, projetos, construção e licenciamento dos 175 restaurantes da cadeia em território nacional, além da expansão da marca no país, numa altura em que a empresa entendeu ser necessário autonomizar as tomadas de decisão nesta área. Para a gestora, que consolidou um percurso de carreira internacional, é tempo de voltar a casa.

Foram sete anos a trabalhar e a viver no Brasil. Primeiro ao serviço da Decathlon, como gerente de expansão da marca de retalho desportivo, e, mais tarde, numa função similar na Walmart. Engenheira civil de formação, com um MBA pela Nova School of Business and Economics (Nova SBE), Sónia Ventura não tem dúvidas de que o maior desafio da sua carreira, “o verdadeiro salto sem rede”, foi a ida para o Brasil com a família. Recorda que deixou não só “a segurança de carreiras previsíveis” – a sua e a do marido -, mas também “toda uma vida familiar que estava bem estruturada”.

Na altura, “o desafio e a necessidade de ter novas experiências e crescer pessoal e profissionalmente falaram mais alto”. Mas agora é tempo de regressar a Portugal. “A McDonal’s é uma empresa de referência no sector da restauração de serviço rápido, mas também na área do desenvolvimento imobiliário, pela exigência na localização escolhida, qualidade do projeto e da construção”, explica, acrescentando que “é uma empresa que se tem reinventado e que nos últimos anos tem vindo a fazer uma grande evolução”.

Foi a oportunidade de fazer parte desse processo de transformação global em curso que ditou a decisão de Sónia Ventura de voltar ao país. Ao longo das suas mais de duas décadas de carreira, a nova diretora de desenvolvimento tem priorizado um modelo de gestão onde a liderança pelo exemplo é a peça-chave. “É a forma mais consistente de passar a mensagem à pessoas e moldar o seu comportamento”, refere.

É com essa postura que abordará as pessoas e equipas com quem vai trabalhar em Portugal. Quer “conhecer melhor a equipa, aprender com ela, mas também acrescentar valor ao trabalho que já desempenhavam”, e é nisto que estará focada nos próximos anos. Até porque o futuro faz-se apenas onde for possível crescer, garante.

Fonte: Expresso


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PT
EN PT